quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Ferrari, enfim, confirma: Fernando Alonso será piloto da escuderia italiana em 2010

Bicampeão mundial será o segundo espanhol a guiar para o time

A notícia mais esperada da Fórmula 1 foi, enfim, confirmada nesta quarta-feira. Fernando Alonso foi oficialmente anunciado como piloto da Ferrari. A eqipe fez o comunicado por meio de seu site.


"A Scuderia Ferrari anuncia que chegou a um acordo com o piloto Fernando Alonso. O contrato cobre três temporadas, começando em 2010", diz o primeiro parágrafo.



A equipe confirma que seus pilotos para a próxima temporada serão o espanhol, Felipe Massa e o italiano Giancarlo Fisichella, que será o reserva. Kimi Raikkonen deixará o time.


- Estamos orgulhosos em receber outro piloto vencedor, que demonstrou talento incrível ao conquistar dois títulos mundiais até agora. É claro, queremos agradecer a Kimi por tudo que fez em seu tempo na Ferrari - diz Stefano Domenicali, chefe da equipe, no texto.



Segundo a Ferrari, a saída do piloto finlandês, que tinha contrato até o fim de 2010, foi de comum acordo.


- Estou triste por deixar um time em que passei três anos fantásticos e venci muitas corridas. Sempre me senti em casa e terei muitas lembranças felizes do meu tempo na equipe - diz Raikkonen, no mesmo comunicado.



Piloto mais bem pago da Fórmula 1



Segundo a rádio espanhola Cadena SER, Alonso receberia € 25 milhões (cerca de R$ 65 milhões) anuais por cinco temporadas.


Se o valor corresponder à realidade, Alonso pode se tornar o piloto mais bem pago da categoria, título que pertence atualmente a Kimi Raikkonen. O finlandês recebe da Ferrari, anualmente, pouco mais de € 30 milhões (cerca de R$ 78 milhões), mas, se os boatos se confirmarem, Raikkonen está de saída para a McLaren, que lhe pagará "apenas" € 20 milhões por ano (R$ 52 milhões).


A Ferrari, no entanto, divulgou, nesta quarta, que o salário de Alonso não será tão alto quanto o que vem sendo especulado.



"Muito se falou sobre a chegada de Fernando Alonso, mas muito mais sobre o quanto o piloto espanhol vai receber e os detalhes de seu contrato com a Scuderia Ferrari. Os números divulgados não têm absolutamente coisa alguma a ver com a realidade. É fácil escrever números, esquecendo que o mundo mudou recentemente", diz o comunicado.

Série Rally


Volkswagen Toureg


Lancia Stratus Rally


Lancia Rally


Lancia Delta S4


Lancia Montecarlo Turbo


Citroën C4 WRC


Simca Rally 2


Fiat 131 Abarth Rally

Simca Rally 2

Bernoldi não defenderá o Fla na rodada de Monza

Coincidência de datas fará Rubro-Negro ter piloto inglês


Uma coincidência de datas fará Enrique Bernoldi desfalcar o Flamengo na quinta rodada dupla da Fórmula Superleague, no próximo fim de semana, em Monza. O paranaense, que subiu ao pódio na última etapa, em Estoril (Portugal), também é piloto da equipe brasileira no FIA GT, e terá de disputar a sétima etapa da competição, em Paul Ricard (França).


- Vou competir pela FIA GT neste fim de semana por motivos contratuais, mas estarei de volta com o Flamengo na próxima rodada, que encerrará a temporada, no circuito de Jarama - afirmou Bernoldi, que será substituído temporariamente por Jonathan Kennard.


O inglês de 24 anos chegou a disputar duas rodadas duplas da temporada pela Roma, antes de ser substituído pelo francês Franck Perera. A rodada dupla final da Superleague está marcada para o dia 8 de novembro no circuito espanhol.

Toyota tem futuro incerto na Fórmula 1

Chefe da equipe diz que permanência vai depender de verba


O chefe da equipe Toyota, Tadashi Yamashina, afirmou nesta quarta-feira ao jornal "Yomiuri" que a permanência da escuderia na Fórmula 1 nos próximos anos depende de resultados e de dinheiro.


- Vamos participar, por enquanto, mas temos de considerar uma variedade de coisas relacionadas ao nosso negócio. Nossa participação é incerta, e depende dos resultados financeiros - disse o dirigente.


No fim de semana passado a equipe liberou Timo Glock, segundo colocado em Cingapura, para negociar com outro time que se interessar em seu trabalho, aumentando os rumores de uma possível saída da equipe. Porém, a Toyota assinou o Pacto de Concórdia, onde garante sua participação na categoria até 2012.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Leilão da Receita terá oferta de Porsche, Corvette, Mercedes e Mustang



Mercadorias estão avaliadas em R$ 4,5 milhões.
Interessados poderão conferir veículos até quarta-feira (30).


Porsche, Mercedes-Benz, Corvette e Mustang são alguns dos carros que estarão em leilão nesta quinta-feira (1º) na Alfândega do Porto do Rio de Janeiro . As mercadorias avaliadas em R$ 4,5 milhões, em 55 lotes, são exclusivamente para pessoas jurídicas.

Serão leiloados seis carros, além de 25 motos e peças de automóveis. Além dos carros, estarão em oferta motos Ducati, Yamaha, Honda e Suzuki


Os interessados poderão comparecer aos depósitos da Multi-Rio Operações Portuárias S/A, Multicar Terminal de Veículos S/A e Libra Terminal Rio S/A, entre os dias 28 e 30, das 9h às 12h e das 13h às 16h, para avaliar as mercadorias.



O leilão será realizado na Avenida Rodrigues Alves, número 81, 3º andar, na Praça Mauá. O edital está disponível no site da Secretaria da Receita Federal. Outras informações podem ser obtidas com a Comissão de Licitação pelo telefone 3262-7112.


No último dia 24, a Receita Federal colocou em leilão mercadorias apreendidas em várias operações desde 2005. Entre os objetos estavam bens de uso pessoal como chinelos de dedo, perfumes e roupas, peças de máquinas copiadoras e de veículos. Também havia objetos de marca, como bolsas de grifes internacionais como DKNY, Tommy Hilfiger, Calvin Klein. Todas as mercadorias vendidas eram originais.

Fim da isenção do IPI provoca falta de alguns modelos de carro

Imposto volta de maneira gradativa a partir de quinta-feira (1º).
Dependendo do modelo escolhido, espera pode ser de até 90 dias.

O movimento nos feirões das montadoras e nas lojas no fim de semana foi acima do previsto. O grande volume de negócios foi motivado por consumidores que quiseram aproveitar o último fim de semana com a isenção completa do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a compra de carros novos. O benefício do IPI zero termina nesta quarta-feira (30) segundo portaria publicada no Diário Oficial da União. Até dezembro o imposto sobe um pouco mês a mês, até voltar ao normal em janeiro.


A correria, em alguns casos, superou a previsão das montadoras e das concessionárias. Uma das consequências de vendas acima do previsto é que, dependendo do modelo escolhido, o consumidor corre o risco de não encontrá-lo para pronta entrega e a espera pode chegar a três meses. Se isso acontecer, o comprador perde os descontos do IPI.


Na rede de lojas do Grupo Amazonas, em São Paulo (com seis unidades da Fiat e duas da Volks), o fim de semana rendeu o fechamento de 375 contratos para a venda de modelos novos e 120 para usados. Atualmente há 180 carros novos da Fiat no pátio da Amazonas. "Quem demorar e dependendo do modelo que quiser pode não pegar o desconto do IPI por falta de produto", diz Richard Marques, gerente de vendas da empresa.


Na rede de concessionárias da Fiat o maior problema é com o modelo Strada cabine dupla, lançado recentemente pela montadora. A espera, segundo Marques, é de até 90 dias. Quem comprar o modelo da Fiat provavelmente não verá a cor do desconto do IPI.


Volta gradativa


A redução do IPI foi anunciada no dia 15 de dezembro do ano passado. Para carros populares, de até mil cilindradas, o IPI caiu de 7% para zero e, para automóveis entre mil e duas mil cilindradas movidos à gasolina, recuou de 13% para 6,5%. Para carros flex (bicombustível) e movidos à álcool, o imposto caiu de 11% para 5,5%. Entretanto, não houve alteração para veículos com mais de duas mil cilindradas.



Agora, o Governo Federal vai promover um aumento gradual do imposto. Segundo informações da Receita Federal, o IPI de carros de até mil cilindradas, que está zerado, subirá para 1,5% em outubro, para 3% em novembro e para 5% em dezembro, retornando ao patamar anterior de 7% no dia 1º de janeiro de 2010.



Já o IPI para carros de mil a duas mil cilindradas à gasolina, que está em 6,5%, subirá para 8% em outubro, para 9,5% em novembro e para 11% em dezembro deste ano, voltando ao patamar antigo, de 13%, em janeiro do ano que vem.



Para os carros flex, com mais de mil cilindradas, o IPI, que atualmente está em 5,5%, subirá para 6,5% em outubro, para 7,5% em novembro e para 9% em dezembro, sendo a tributação anterior, de 11%, retomada no início do ano que vem.


Adequação do mercado


E como o setor vai fazer para manter as vendas? Para o diretor de vendas do Sincovi-DF, Hélio Aveiro, ainda é cedo para dizer como o mercado vai se comportar com o fim do benefício. “Nós esperamos que o mercado consiga se adequar. Não sabemos o que vai acontecer a partir de janeiro", destaca Aveiro. "O incremento foi muito favorável para a economia, para o seguimento e para o cliente, que teve a oportunidade de comprar um carro novo com desconto favorável. Mostrou que a tributação no Brasil é muito alta e quando o governo tomou essa medida, trouxe um incremento nas vendas."



A venda dos usados deve aquecer novamente? “Esperamos que sim. A venda dos carros usados caiu muito com a redução do IPI do novo. Agora, acreditamos que deve voltar à normalidade”, finaliza Hélio Aveiro.

Mosley aponta Todt como sucessor na FIA

Atual presidente reafirma apoio ao francês na eleição


Presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley espera que o francês Jean Todt, ex-chefe da Ferrari, será seu sucessor à frente da entidade a partir do dia 23 de outubro no pleito contra Ari Vatanen. Apesar de Todt ter se esforçado nos últimos meses para se desvincular de Mosley, o presidente da FIA voltou a mostrar seu apoio ao francês em entrevista publicada hoje pelo jornal inglês "Evening Standard".


Na entrevista, Mosley chama de retardados mentais todos aqueles que o acusam de favorecer injustamente o francês, especialmente antigos pilotos. Perguntado sobre se tal termo teria destinatário certo, o controvertido presidente da FIA não hesitou em mencionar o ex-piloto escocês Jackie Stewart, três vezes campeão mundial de Fórmula 1.


- Eles (os ex-pilotos) foram muito rápidos, certamente, mas não entendem a complexidade deste esporte - afirmou Mosley.


Na mesma entrevista, Mosley afirmar estar satisfeito com a sentença do Conselho Mundial do Esporte a Motor que baniu das pistas o italiano Flavio Briatore, chefe de equipe da Renault, depois da farsa montada no GP de Cingapura de 2008, quando o piloto brasileiro Nelsinho Piquet bateu intencionalmente para ajudar seu companheiro de time, o espanhol Fernando Alonso.


Para o presidente da FIA, este caso é completamente diferente da trama de espionagem protagonizada pela McLaren há dois anos já que, segundo ele, este fato foi uma infração comercial, não desportiva, como no caso de Piquet.


Em um breve balanço de sua trajetória, Mosley lamentou não ter feito o suficiente para descobrir um Michael Schumacher em outros países, como China ou Índia e citou o investimento em pistas de karts como meio de descobrir novos talentos. O presidente da FIA lembrou que campeões como Ayrton Senna e Lewis Hamilton começaram suas carreiras nos karts.

Felipe Massa anda novamente de kart

Piloto não sente problemas durante treino na Granja Viana


O piloto Felipe Massa deu prosseguimento ao processo de recuperação do acidente no GP da Hungria e voltou a testar nesta terça-feira um kart no kartódromo da Granja Viana, nas proximidades de São Paulo. Ao contrário da segunda-feira, quando choveu e a atividade foi interrompida rapidamente, o ferrarista pôde dar mais voltas e não sentiu nenhum problema.



Felipe treinou com uma proteção na testa e com o macacão e capacete da Ferrari em dois karts, um todo vermelho, e estava acompanhado do irmão Dudu e do piloto de Stock Car Popó Bueno, amigo de longa data. O vice-campeão mundial de 2008 não deu declarações à imprensa.



No acidente em Hungaroring, Massa foi atingido por uma mola que se soltou do carro de Rubens Barrichello. O piloto da Ferrari teve uma fratura na testa e foi submetido a três cirurgias.



Felipe, que não teve sequelas neurológicas e no olho esquerdo, atingido pelo impacto, tem como objetivo voltar à F-1 na última etapa da temporada, em Abu Dhabi (Emirados Árabes).

Senna está confiante para entrar na F-1

Brasileiro ressalta cautela na negociação com as equipes

Bruno Senna está confiante de que poderá entrar em alguma equipe para a próxima temporada da Fórmula 1. Atualmente, segundo a imprensa especializada, Senna negocia com a Campos, que integrará a principal categoria do automobilismo em 2010, além de manter conversas com Manor, Williams, Toyota e Force India.


- No momento, estamos negociando um lugar na categoria com várias equipes, algumas estão mais avançadas que as outras. Estamos tentando e, se não conseguirmos, devo ir para uma equipe nova. Estamos otimistas de que vou conseguir. De uma maneira ou de outra, espero estar lá no ano que vem, correndo pelo menos 18 corridas - disse


O brasileiro ressalta a cautela na hora de negociar com as equipes.


- Infelizmente, ainda estamos longe de anunciar algo, mas estamos buscando. A Fórmula 1 está em um momento muito difícil, o que não me ajuda muito. Existem muitas dúvidas para todos os times, mesmo naqueles em que as pessoas não imaginam que haja problemas - disse Senna


Bruno afirmou que as chances de entrar na F-1 em 2010 são altas.


O fato é que prefiro estar em uma equipe que já esteja lá, sabendo que ela vai continuar crescendo, em vez de optar por começar do zero. As equipes me querem porque acreditam que sou bom o suficiente, além de acreditarem no potencial de meus patrocinadores e em oportunidades comerciais - disse Bruno Senna.

Imprensa garante Fernando Alonso na Ferrari

Piloto espanhol seria apresentado pela nova equipe em Suzuka

A imprensa espanhola já dá como certa a contratação de Fernando Alonso pela Ferrari. O diário espanhol "Marca" divulgou nesta terça-feira a data de apresentação do bicampeão pela escuderia italiana e a rádio espanhola Cadena Ser informou detalhes do contrato.


De acordo com o "Marca", a apresentação de Alonso está marcada para a próxima quarta-feira, no circuito de Suzuka, no Japão, onde será disputada a próxima etapa do Mundial de Fórmula 1.


A rádio Cadena Ser informou que o salário de Alonso em sua primeira temporada na Ferrari será de 25 milhões de euros (cerca de R$ 71 milhões). A rádio também informou que o contrato do espanhol vai de 2010 a 2014, sendo dois anos de renovação e um sexto ano negociavel..


O bicampeão já teria feito várias reuniões com membros da Ferrari para começar o planejamento do trabalho. Em um deles o espanhol teria solocitado a contratação de pessoas de confiança, que seriam engenheiros vindos das equipes Red Bull, McLaren e Renault.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Raros superesportivos Mercedes vão a leilão


CLK GTR cupê e roadster podem ser vendidos por mais de R$ 3,5 milhões


Se você não teve a chance de comprar um Mercedes-Benz CLK GTR enquanto o modelo foi produzido, entre 1998 e 2002, agora é sua chance. A casa de leilões RM Actions, baseada em Londres (Inglaterra) anunciou nesta semana o leilão de duas unidades do superesportivo, um cupê e um roadster. Segundo a empresa, os lances iniciais (ou seja, eles podem sair ainda mais caros) para os carros devem girar em torno de R$ 1,1 milhão para a versão com teto fechado e R$ 3,5 milhões para a variante sem capota.


A justificativa do alto preço é a exclusividade do CLK GTR. Apenas 20 unidades do modelo cupê e seis do roadster foram fabricadas, tornando-os superesportivos raríssimos. Com carroceria de fibra de carbono e avançados sistemas de dirigibilidade e câmbio, o carro, desenvolvido em grande parte pela AMG, divisão esportiva da Mercedes-Benz, esconde sob a lataria traseira um colossal motor 6.9 V12 de 612 cv e 79,1 kgfm de torque, números despejados sem nenhum controle eletrônico de tração ou estabilidade para as rodas traseiras.


Segundo dados da fábrica, o CLK GTR acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3s4 e atinge a velocidade máxima de 322 km/h. Considerado o Bugatti Veyron de seu tempo, o superesportivo da Mercedes, quando ainda era produzido, carregava o título de carro mais caro do mundo, vendido por cifras acima dos US$ 1,2 milhões (R$ 2,1 milhões). O modelo em uma versão ainda mais extrema também fez sucesso na categoria FIA GT, onde foi conduzido rumo ao pódio por diversas vezes pelo piloto brasileiro Ricardo Zonta, ex-piloto de Fórmula 1 que correu pelas equipes BAR, Jordan e Toyota e atualmente está em atividade na Stock Car brasileira e competições de longa duração pela Peugeot.








Motor Opala - Caprichado


El Camino

Ayrton Senna - Donington 1993

video

Último fim de semana de isenção no IPI aumenta vendas nas concessionárias

'Tem cliente que queria carro preto e está levando vermelho', diz gerente.
Em um dia, Peugeot vendeu quase o dobro de fim de semana 'normal'.


O último fim de semana de isenção no Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros novos fez aumentar as vendas em concessionárias de São Paulo. Algumas chegaram a vender o dobro do registrado em outros finais de semana.


A Peugeot, que realizou um feirão no Shopping Center Norte, vendeu 440 carros no sábado (26). O número superou o registrado normalmente em finais de semana: entre 200 e 250 carros, segundo a assessoria de imprensa da montadora.


O desconto no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) será reincorporado pelas montadoras de forma gradativa a partir da próxima quinta-feira (1º). Por isso, a corrida dos clientes foi pelos carros disponíveis em estoque, já que, para compras por encomenda em que o carro só será faturado após a quarta (30), não haverá mais o desconto do imposto.


“O consumidor veio pra comprar e, se percebe que não tem o modelo, aceita outro, mesmo com item a mais de opcional, para aproveitar a vantagem do IPI”, conta Nasser Salloum Filho, gerente-geral da Catalbiano no Pacaembu. O resultado, segundo ele, foi um aumento de 100% nas vendas no fim de semana.

“Tem cliente que queria carro preto e está levando vermelho. Quem queria um Palio 1.0, muda para Palio 1.4. Estão pegando o que tem”, conta o supervisor de vendas da Itavema Fiat no Itaim, Leandro Silveira de Macedo.



Na rede Itavema Fiat – cinco lojas na capital – as vendas aumentaram até 60% para alguns modelos, na comparação com um fim de semana comum. “Acho que vou começar meu dia na segunda com o estoque 50% menor”, prevê a gerente-geral do grupo, Ana Maria Junqueira. Ela espera que as vendas sigam o mesmo ritmo até a quarta.


Em algumas concessionárias, a falta de carros em estoque teve de ser driblada. “As vendas estão sendo [feitas] com prazo de mais ou menos 15 dias. Não vou ter todos os veículos na pronta-entrega. Estou vendendo e honrando o preço”, explica Vytas Sipas, gerente da Da Vinci no Morumbi, que, desta forma, conseguiu “praticamente dobrar” as vendas no fim de semana.

1ª parcela 'esticada'


Além do desconto no IPI, quem foi às lojas em busca de um carro novo recebeu diversas ofertas, como IPVA grátis, aparelhos de som e até a primeira parcela bem "esticada". “Dependendo do valor da entrada e do prazo [de financiamento], temos a primeira parcela para 90 dias, inclusive [para pagar] com o 13º salário”, conta Luciano Vieira de Almeida, gerente de vendas da Brasilwagen, na Vila Guilherme.



Segundo ele, a rede, com seis lojas, vendeu 250 carros novos desde o sábado até as 16h deste domingo (27), quatro horas antes de terminar o feirão. “Vamos chegar a 300, com certeza”, disse.

Compra adiada


O governo anunciou a redução do IPI no dia 15 de dezembro do ano passado. Para carros populares, de até mil cilindradas, o imposto caiu de 7% para zero e, para automóveis entre mil e duas mil cilindradas movidos à gasolina, recuou de 13% para 6,5%. Para carros flex (bicombustível) e movidos à álcool, o imposto caiu de 11% para 5,5%. Não houve alteração para veículos com mais de duas mil cilindradas.



A partir da quinta (1º), haverá um aumento gradual do imposto. O IPI de carros de até mil cilindradas subirá para 1,5% em outubro, para 3% em novembro e para 5% em dezembro, retornando ao patamar anterior de 7% no dia 1º de janeiro de 2010.


Para alguns, o fato de o IPI aumentar gradualmente a partir da quinta – em percentuais menores - pode levar alguns consumidores a adiar a compra do carro novo.


“Para muita gente, esse 1,5% não muda muita coisa. Muitos acabam se preparando mais e comprando o carro [depois], mesmo com R$ 500 a mais”, opina o gerente de vendas da Superfor no Butantã, Sérgio Shiguero, que participou de um feirão em Guarulhos. Segundo ele, as vendas de veículos novos no feirão corresponderam a 50% da expectativa inicial.

(G1)

'Caminhão-monstro' esmaga carro em show na Escócia

Museu de Edimburgo promove espetáculo dos supercaminhões.
Evento vai reunir caminhões de diferentes tamanhos e formas.


Um caminhão com rodas gigantes esmaga um carro de passeio durante exibição no Museu Nacional da Aviação em Edimbugo, na Escócia. O museu vai promover show dos chamados 'caminhões-monstros' neste fim de semana, reunindo vários veículos de diferentes formas e tamanhos, no estacionamento do museu escocês.

Hamilton vence e Button abre mais um ponto

Safety car favorece líder do Mundial, que chega em quinto e pode ser campeão já em Suzuka

O GP de Cingapura teve neste domingo a vitória de Lewis Hamilton mas o grande vencedor do dia foi Jenson Button, que chegou na quinta posição e abriu mais um ponto em relação ao seu companheiro na equipe Brawn Rubens Barrichello, que terminou em sexto. Agora, a três corridas do final da temporada, o inglês lidera o Mundial com 15 pontos de vantagem sobre o brasileiro. Além deles, só Sebastian Vettel ainda tem chances de título, embora remotas. O alemão da Red Bull foi o quarto e chegou a 59 pontos, 25 a menos do que Button.


O inglês já pode conquistar o título no próximo domingo, em Suzuka. Para isso, ele precisa fazer cinco pontos a mais do que Barrichello no GP do Japão. O brasileiro andou a corrida praticamente toda na frente do rival, mas se deu mal por causa de uma entrada do safety car. Button fez seu primeiro pit stop justamente sob bandeira amarela e colocou muito combustível, o que o permitiu retardar a segunda parada e, com isso, passar Barrichello na segunda rodada de paradas.


Alheio à briga entre a dupla da Brawn, Hamilton dominou a corrida de ponta a ponta e venceu sem problemas, seguido por Timo Glock, da Toyota, e Fernando Alonso, da Renault. Também pontuaram Heikki Kovalainen, da McLaren, em sétimo, e Robert Kubica, da BMW Sauber, em oitavo. Os únicos que ameaçaram em algum momento a vitória de Hamilton foram Vettel e Nico Rosberg. Mas os dois rivais cometeram erros e permitiram ao inglês um respiro. Rosberg, que largou em terceiro, pulou para segundo após a largada, mas passou sobre a linha branca na saída dos boxes após seu primeiro pit stop e levou uma punição. Vettel também foi punido, por excesso de velocidade nos boxes, e ainda teve problemas de freios no fim.


Em relação aos que brigam pelo título, a corrida durante todo o tempo parecia favorecer Barrichello, mas um detalhe mudou tudo: na 21ª volta o safety car foi à pista depois que Adrian Sutil rodou e atingiu Nick Heidfeld. Barrichello, que era sétimo antes da primeira rodada de pit stops e estava dois postos à frente de Button, parou antes do safety car, enquanto o inglês fez o pit stop sob bandeira amarela e colocou mais gasolina.


Com a punição a Rosberg e a queda de rendimento de Mark Webber, que depois sofreria um acidente por falha nos freios, Barrichello subiu a quinto, dois postos à frente de Button e com Kovalainen entre eles. Mas a maior autonomia de combustível permitiu que o inglês voltasse à pista depois da sua parada à frente dos dois e marcasse pontos fundamentais na briga pelo título.


No fim da prova, os freios de Button também começaram a falhar e Barrichello fez um último ataque ao inglês, mas não havia mais tempo para uma ultrapassagem. Uma volta a mais de corrida seria suficiente para o brasileiro ganhar um ponto na apertada briga com o companheiro de equipe.

GP DE CINGAPURA - RESULTADO FINAL
1º - Lewis Hamilton (ING) McLaren-Mercedes - 1h56m06s337
2º - Timo Glock (ALE) Toyota - a 9s634
3º - Fernando Alonso (ESP) Renault - a 16s624
4º - Sebastian Vettel (ALE) Red Bull-Renault - a 20s261
5º - Jenson Button (ING) Brawn-Mercedes - a 30s015
6º - Rubens Barrichello (BRA) Brawn-Mercedes - a 31s858
7º - Heikki Kovalainen (FIN) McLaren-Mercedes - a 36s157
8º - Robert Kubica (POL) BMW Sauber - a 55s054
9º - Kazuki Nakajima (JAP) Williams-Toyota - a 56s054
10º - Kimi Raikkonen (FIN) Ferrari - a 58s892
11º - Nico Rosberg (ALE) Williams-Toyota - a 59s777
12º - Jarno Trulli (ITA) Toyota - a 1m13s009
13º - Giancarlo Fisichella (ITA) Ferrari - a 1m19s890
14º - Vitantonio Liuzzi (ITA) Force India-Mercedes - a 1m33s502

ABANDONOS

Jaime Alguersuari (ESP) Toro Rosso-Ferrari - a 14 voltas (freios)
Sebastien Buemi (SUI) Toro Rosso-Ferrari - a 14 voltas (freios)
Mark Webber (AUS) Red Bull-Renault - a 16 voltas (acidente/freios)
Adrian Sutil (ALE) Force India-Mercedes - a 38 voltas (colisão)
Nick Heidfeld (ALE) BMW Sauber - a 42 voltas (colisão)
Romain Grosjean (FRA) Renault - a 58 voltas (freios)

VOLTA MAIS RÁPIDA

Fernando Alonso (ESP) Renault - 1m48s240, na 53ª

Massa campeão mundial no tapetão?

Brecha permite que Ferrari apele devido à farsa da Renault


Felipe Massa campeão mundial de 2008? O que poderia parecer uma fantasia, é uma possibilidade que foi aberta pelo escândalo sobre o acidente deliberado de Nelsinho Piquet no último GP de Cingapura.



Ao contrário do que Max Mosley afirmara anteriormente, o artigo 179b do Código Desportivo Internacional da FIA afirma que o resultado de um evento pode ser revisto se surgirem novas evidências – como foi o caso da denúncia feita pelo piloto brasileiro quase um ano depois de disputada aquela corrida.



Tendo em vista que o Conselho Mundial da FIA chegou à conclusão de que o resultado final da corrida foi manipulado por uma conspiração de alguns membros da Renault, a entidade teria o poder de anular o resultado da prova, desconsiderando seu efeito para a tabela final do campeonato. Assim, Hamilton perderia os seis pontos pelo terceiro lugar e, consequentemente, o título ficaria com Felipe Massa, que ficaria com cinco pontos de vantagem na classificação final.


O resto do artigo 179b, do ponto de vista jurídico, estabelece o dia 30 de novembro do ano em que o campeonato foi disputado como data-limite para protestos apenas por decisões dos comissários de prova, mas não para pleitear que um resultado do ano anterior seja anulado em cima de um veredicto feito pelo Conselho Mundial da FIA – o caso de agora.

Assim, a Ferrari teria direito a apelar ao Conselho pedindo a anulação do resultado da prova.