sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Venda de carros importados aumenta 21,4% em setembro

Valorização do real e volta do crédito fortalecem o segmento.
Previsão para 2010 é de expansão de 10% das vendas de importados.

A valorização do real já se reflete nas vendas de veículos importados, que subiram 21,4% em setembro. Dados divulgados, nesta quinta-feira (15), pela Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) mostram que a crise se afasta do segmento de importados: em setembro foram emplacados 3.899 veículos, contra 3.531 unidades em agosto. O volume supera ainda o resultado de setembro de 2008 em 10,42%, quando foram emplacadas 3.531 unidades. Os números se referem às vendas das marcas BMW, Chana, Chrysler, Dodge, Effa Motors, Hafei, Jeep, Kia Motors, Pagani, Porsche e SsangYong.



No acumulado de janeiro a setembro, as 11 marcas somaram 23.923 veículos emplacados. O número representa aumento de 1,38% sobre igual período de 2008, quando 23.240 unidades foram vendidas. Apesar da pequena variação, o segmento considera o resultado positivo, pois tradicionalmente o último trimestre do ano é favorável às vendas de automóveis.


Ao somar a esse volume às operações das marcas Jaguar, Jinbei, Land Rover e Suzuki (que se associaram à Abeiva em outubro de 2008), as quinze afiliadas emplacaram em setembro 4.722 unidades. Assim, o resultado é 19,7% superior em relação a agosto, quando foram vendidas 3.944 unidades.


“Nas nossas previsões esperamos fechar o ano com 35 mil unidades vendidas, mas pelo ritmo de vendas acredito que o volume pode chegar a 40 mil unidades”, afirma o presidente da Abeiva, Jörg Henning Dornbusch.


Além da questão cambial, o otimismo do setor se baseia no aumento do crédito disponível ao mercado automotivo. De acordo com Dornbusch, há forte tendência de aumento dos financiamentos no país, que já representam 60% dos negócios. “Acredito que chegue a 65% ainda este ano”, diz o presidente da Abeiva. No Mercosul, os financiamentos de veículos cresceram 34,16% neste ano, enquanto em países em crise como os da América do Norte caíram 36,7%.


A Kia Motors é a primeira em vendas entre as associadas, com 54,7% do total. Em segundo, está a BMW, com 11,2%, seguida da Suzuki, com 8%.

(G1)

Nenhum comentário: